VENENO NA MESA: O PERIGO DE TEMPERAR COM OS CUBOS DE CALDO!

Já percebeu como é impressionante a variedade de sabores que aqueles caldos em tablete têm?

Você pode comprar de carne, galinha, legumes, bacon, picanha, costela…

Cada vez mais, novos sabores vão surgindo e além de deixarem a comida mais gostosa, também atraem pela baixa gordura e calorias.

O problema é que, como se trata de um alimento industrializado, esses caldos vêm com muita química.

Estamos falando de aromatizantes, corantes, realçadores de sabor (como o glutamato monossódico) e a preocupante – e exagerada – quantidade de sódio.

Ou seja: uma verdadeira bomba!

 

 

 

 

 

 

 

A Organização Mundial da Saúde diz que a quantidade ideal de sal que podemos consumir diariamente é de 5 gramas por dia.

Isso é quase 1 colher (chá) cheia.

Cada grama de sal contém 400 miligramas de sódio.

Sendo assim, a cota diária de sódio deve ser de 2.000 mg por dia.

Deve ter batido a curiosidade para saber quanto de sódio tem em um tablete de caldo desses, não é?

Veja:

– 993 miligramas de sódio, se for caldo de carne

– 1.038 miligramas, se for de frango

– 900 miligramas, se for de legumes

Isso significa que um tablete já tem mais ou menos 50% do que você pode consumir de sal diariamente.

Como ninguém vai passar o dia todo sem consumir sal depois de colocar um caldo desses na sopa, verdura ou legumes, acaba que estoura a cota diária.

Mas os caldos em tablete possuem outra grande ameaça: o glutamato monossódico.

O glutamato monossódico está relacionado à obesidade e à doença de Alzheimer, além de ser altamente tóxico para os neurônios.

A substância é um neurobloqueador do hipotálamo, controlador do apetite, o que faz aumentar a quantidade de comida ingerida.

Não por acaso, a obesidade é tão comum nos dias atuais.

E não só nos adultos, nas crianças também, que terminam sendo as principais vítimas dos alimentos industrializados.

Por isso, a solução está em preparar seu próprio caldo em casa.

Aprenda duas receitas simples e bem saborosas:

Caldo de ervas:

Espalhe em forminhas de gelo algumas ervas secas, como manjericão, orégano, salsa e elecrim.

Feito isso, adicione azeite de oliva.

Em seguida, leve a forminha ao congelador.

Quando congelar, tire os cubinhos e coloque num saquinho plástico no congelador.

E assim, sempre que precisar, peque um cubinho e tempere sua comida.

Há outra receita bem legal, mas com ervas frescas.

Basta bater no liquidificador 1 cebola grande, 2 dentes de alho sem casca, 1 maço pequeno de cebolinha, 1 maço pequeno de salsinha, 1 pimentão sem sementes, 1 colher (sopa) de vinagre branco e 1 pitada de sal.

Tanto o vinagre como o sal atuam como conservantes.

Coloque a mistura na forma de gelo e leve ao congelador.

Ainda tem mais uma, o caldo de legumes: numa panela, coloque 1 litro de água, 2 tomates, 1 alho-poró, 1 cenoura grande, 1 pé de espinafre, 1 maço de cabolinha, 1 maço de salsinha, 1 ramo de alecrim, 1 cebola média, 2 dentes de alho e uma pitada de sal marinho.

Deixe ferver um pouco e, depois que os ingredientes já tiverem cozidos, deixe esfriar.

Depois é só bater no liquidificador e colocar na forminha de gelo, para levar ao congelador.

 

Este é um blog de notícias sobre tratamentos caseiros. Ele não substitui um especialista. Consulte sempre seu médico.

 

Leia mais em: http://www.curapelanatureza.com.br/post/03/2017/veneno-na-mesa-o-perigo-de-temperar-com-os-cubos-de-caldo

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*